na catraca

11.14.2009

contínuo 8 - o tal "processo"

Pessoalmente não acredito muito nas tais fórmulas de "como fazer" HQ's. Acho que uma das coisas mais legais de todo o processo criativo dos quadrinhos é descobrir o SEU JEITO de contar histórias.

Claro, é sempre bom receber dicas e entender como os outros fazem, mas é importante saber do que se apropriar dos métodos dos outros e não cair na armadilha de seguir à risca modelos prontos que acabam por engessar o trabalho, limitando-o.

Com isso em mente (e como tinha prometido), segue abaixo o meu processo de construção da página 3 da minha história!

Roteiro:
Quando comecei a escrever a história, não tinha ideia de que acabaria desenhando ela. O estilo que mais se aproximava do clima que gostaria de passar para a revista era o do Alcimar. Seu desenho é sombrio e pesado, muitas vezes "vertical". Diria que quase monolítico. Isso cairia como uma luva para representar uma força do mal quase invencível!

Depois de várias reuniões chegamos a conclusão, junto com o Alcimar, de que seu estilo seria fantástico para a história do Carlos (diga-se de passagem, o estilo do Alcimar é perfeito para qualquer história de terror!). Resolvi pegar o roteiro e desenhar eu mesmo. Como disse antes, esta era uma vontade antiga.

Se soubesse que iria desenhar a minha história desde o principio, talvez tivesse estruturado o roteiro de uma forma mais livre. Em geral, monto a página no ritmo que acho melhor e faço descrições de câmera e situação (se houver falas, coloco-as também). Procuro calcular o ritmo de leitura por quadro e por página, para facilitar o fluxo de ideias. No canto do quarto - por Dalton Soares Sketches:
Com o roteiro finalizado, projetei, junto com o editor Pedro Felicio, todas as páginas. No canto do quarto - por Dalton Soares Referências:
Além das referencias artísticas, como Paul Pope, o próprio Alcimar e o Expressionismo alemão, procurei me cercar ao MÁXIMO de referências fotográficas da cada cena. Isso facilita muito o desenho e agiliza bastante todo o processo. Também fotografei pessoas nas poses que precisava para cada quadro (agradeço muito aos senhores Bottino, Olavo e Alcimar pela paciência!). No canto do quarto - por Dalton Soares Desenho:
No computador, fiz pequenas montagens de cenários com as fotos para ter uma ideia melhor da composição dos quadros. Depois é desenhar, desenhar e desenhar!
No canto do quarto - por Dalton Soares Juntando tudo isso, nasceu a página 3 de "No canto do quarto".
No canto do quarto - por Dalton Soares

5 comentários:

A.Moraes disse...

verdade, Soares. não há 'método', por mais que os escritores/vendedores de manuais queiram convencer seus leitores potenciais do contrário, pra se contar uma história em qualquer veículo/forma que seja.

Adriano disse...

Muito legal ver a quantidade de "suor" do seu processo para um resultado que um desavisado poderia considerar "só um desenho"....

Mauricio Pommella disse...

Parabens Dalton por compartilhar seu processo de trabalho e pelo resultado obtido na arte. Eu mesmo tenho trabalhando de forma um pouco semelhante tirando fotos digitais, coletando referencias e o resultado pode ser visto aqui:

http://homepage.mac.com/thesoulsurfer/my_site/portfolio/ilustracoes/savings/index.html

Sigo na producao de uma nova historia e pedacos da historia em andamento podem ser vistos aqui:

http://www.thesoulsurfer.blogspot.com/

Quem trabalha usando foto digital p/ referencia de maneira criativa tambem eh o Sean Philips

http://surebeatsworking.blogspot.com/2009/11/criminal-pencils_16.html

Abracos a todos do Continuo!

M.
###

Mauricio Pommella disse...

Poxa que coisa, no meu post anterior o primeiro endereco que mandei ficou truncado... enfim, mando novamente mas desta vez com um alias mais curto:

http://www.savings.thesoulsurfer.net/

Abracos.
M.
###

Dalton Correa Soares disse...

Valeu pessoal!
Fazer quadrinhos da trabalho...mas é MUITO LEGAL!!

Gostei muito dos links que você passou Mauricio.
Parabéns pelo trabalho!

Grande abraço!